Crescimento do franchising

***Marcio Mascarenhas - Presidente da rede Number One

            

O mercado de franquias não para de crescer no Brasil. Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontam que o setor expandiu 16,9% em 2011, alcançando faturamento de R$ 88 bilhões. O número representa 2,3% do PIB nacional. As redes em operação cresceram 9,5% e o número de unidades chegou a 93 mil, 7,8% a mais que em 2010. Atualmente, o segmento emprega mais de 837 mil pessoas. A previsão para 2012 é que o mercado cresça 15% e movimente mais de R$ 100 bilhões no País.



As franquias ainda são consideradas a forma mais segura de abertura de negócio, segundo consultores e especialistas. Entre as grandes vantagens estão o know how e o treinamento dos franqueadores, reduzindo, assim, os riscos relacionados ao empreendimento. Ainda entre as iniciativas dos franqueadores para os franqueados estão pesquisa de mercado para verificar a melhor localização e oportunidades e planejamento prévio sobre as despesas iniciais, os gastos com obras e a divulgação da marca. Itens como localização, público potencial, concorrência e perspectivas de crescimento para a região também são avaliadas.



Como em geral as redes de franquia centralizam as compras, os volumes são maiores, o que aumenta o poder de barganha com fornecedores, ficando mais fácil obter descontos ou estender os prazos de pagamento. Outra vantagem refere-se aos gastos com divulgação, que acabam sendo centralizados, reduzindo as despesas por franqueado, isto sem falar que, em geral, a marca e os produtos já são conhecidos do grande público, o que garante maior penetração de mercado.



Minas Gerais atualmente é o terceiro maior estado em expansão no setor e a perspectiva é que aumente muito o número de franquias instaladas por aqui. O mercado mineiro não está saturado como o do Rio e de São Paulo, por isso as possibilidades são maiores e os franqueadores já estão considerando Minas como a menina dos olhos do franchising. Somente em 2011, as franquias localizadas em Minas criaram 6.500 empregos diretos. Belo Horizonte e região metropolitana não são as únicas beneficiadas com esse crescimento. Cidades como Uberlândia e Juiz de Fora também estão na rota das redes franqueadoras.



Neste cenário otimista, que promete ainda bons negócios com a aproximação da Copa do Mundo e das Olimpíadas, as franquias do setor de idiomas se destacam. Pesquisa divulgada pela Global English, empresa especializada em inglês empresarial, mostra que o Brasil tem média de 3,95 em proficiência em Inglês numa escala de 0 a 10. Além disso, apenas 7% dos profissionais que afirmam ter domínio da língua inglesa são capazes de utilizá-la no trabalho. Essas estatísticas são preocupantes, já que estamos a dois anos de um evento mundial. Só agora a população está percebendo a importância do domínio de uma segunda língua e procurando qualificação e conhecimento. O número de matrículas nas escolas de idioma já aumentou consideravelmente e a tendência é que essa procura continue crescente mesmo depois da realização desses eventos. Isso porque o segundo idioma já se tornou quesito obrigatório para o ingresso em grandes empresas.