Aprendizado de idiomas na infância

*** Marcio Mascarenhas ? presidente da rede de franquias Number One

A principal função das crianças é brincar, certo? Sim, entretanto, são nas brincadeiras que os pequenos conhecem os objetos, as palavras e os sons e, a partir de então, desenvolvem o cérebro para o aprendizado. A compreensão de outro idioma pode ser facilitada se iniciada ainda na infância. A neurocientista Sharon Begley realizou alguns testes com crianças com menos de um ano e concluiu que as que entendiam outra língua tiveram um resultado superior àquelas que compreendiam apenas uma. Neste estudo, a doutora chega à conclusão de que indivíduos que aprendem uma segunda língua mais cedo têm vantagens sobre os monolíngues. Pensando no futuro e no concorrido mercado de trabalho, cada vez mais cedo os pais têm matriculado seus filhos em escolas especializadas de idiomas. 

Informações da Nielsen mostram que casas com crianças menores de 14 anos representam 26% do total no Brasil, a terceira maior quantidade de domicílios com moradores até a faixa etária na América Latina. O poder aquisitivo do brasileiro também está mais alto, o que permite às famílias investirem na formação extracurricular. Estes dois fatores favorecem bastante o aumento da procura de ensino de outra língua pelo público jovem.



As crianças estão sendo expostas precoce e continuamente a um idioma estrangeiro seja através de DVDs, de músicas, de televisão ou mesmo pela Internet. Com a familiarização desde cedo, a criança deixa de se intimidar e tem mais facilidade para pensar naquela língua. Assim, o aprendizado flui naturalmente. Importante frisar que os pais não podem esquecer que os métodos de ensino devem ser assimilados com o universo infantil, com dinâmicas, com brincadeiras e com atividades lúdicas. É sempre bom que eles estimulem e acompanhem de perto o desenvolvimento da criança.



O inglês ainda é a preferência dos pais ao matricularem seus filhos pequenos para aprender outro idioma, pois continua sendo o mais influente em todo o mundo. Apesar de o número de pessoas estudando a língua no Brasil ter crescido, o domínio ainda deixa a desejar. De acordo com o índice mundial de proficiência no inglês feito pela Education First (EF), o Brasil ocupa a 31ª posição no ranking, no limite entre as categorias ?proficiência baixa? e ?proficiência muito baixa?. Em contrapartida, o ensino de inglês no país está em expansão. O faturamento das escolas de idiomas cresceu 11% e chegou a R$ 3,1 bilhões, entre 2010 e 2011, segundo levantamento da Associação Brasileira de Franquias (ABF). O número total é ainda maior, pois os dados excluem escolas que não funcionam como franquias de redes.



O domínio de outra língua tem se tornado essencial para conseguir um emprego, para mudar de cargo, para fechar negócios, para entender um conceito e até para fazer novos contatos. A demanda do mercado por profissionais que dominem uma segunda língua impulsionou o aumento de crianças matriculadas em escolas de idiomas. Vale a pena investir no futuro profissional e pessoal. Mas importante lembrar: nunca é tarde para aprender.